fuga mobilya
fuga mobilya
fuga mobilya
fuga mobilya
fuga mobilya
fuga mobilya
fuga mobilya
fuga mobilya
fuga mobilya
fuga mobilya
fuga mobilya
fuga mobilya
fuga mobilya
 Sentença incorpora gratificação a salário de ex-professor da PUC-RS Advogados Trabalhistas
Payday Loans
 
 
Home | DESTAQUES | NOTÍCIAS | NOTÍCIAS | Sentença incorpora gratificação a salário de ex-professor da PUC-RS

Sentença incorpora gratificação a salário de ex-professor da PUC-RS

O escritório AVM Advogados Associados garantiu a um de seus clientes uma conquista expressiva na Justiça do Trabalho, no final do mês de setembro. No dia 29, foi prolatada sentença que declarou o direito da incorporação de gratificação de função especial ao salário de um ex-professor da PUC-RS.

Admitido em 1973, o professor trabalhou na Faculdade de Serviço Social até 2009, quando foi despedido sem justa causa. Entre 1985 e 2002, atuou como diretor da faculdade, percebendo uma gratificação de função especial. No entanto, ao deixar a função de direção e retornar apenas às atividades docentes, teve o valor subtraído de seu salário.

Na sentença, a juíza substituta da 29ª Vara do Trabalho de Porto Alegre, Rita Volpato Bischoff, entendeu que, em razão do princípio da estabilidade financeira, conforme orientações da súmula 372 do TST e do artigo 468 da Consolidação das Leis do Trabalho, o valor não pode ser retirado da remuneração do trabalhador. Com isso, determinou o pagamento da diferença devida desde março de 2006 (a data se dá em razão da prescrição, que limita o pagamento aos 5 anos anteriores), com reflexo em férias, décimos terceiros salários, FGTS, indenização compensatória de 40% e outros direitos trabalhistas.

 

 

 

O escritório AVM Advogados Associados garantiu a um de seus clientes uma conquista expressiva na Justiça do Trabalho, no final do mês de setembro. No dia 29, foi prolatada sentença que reincorpora gratificação de função especial ao salário de um ex-professor da PUC-RS.

 

Admitido em 1973, o professor trabalhou na Faculdade de Serviço Social até 2009, quando foi despedido sem justa causa. Entre 1985 e 2002, atuou como diretor da faculdade, percebendo uma gratificação de função especial. No entanto, ao deixar a função de direção e retornar apenas às atividades docentes, teve o valor subtraído de seu salário.

 

Na sentença, a juíza substituta da 29ª Vara do Trabalho de Porto Alegre, Rita Volpato Bischoff, entendeu que, em razão do princípio da estabilidade financeira, conforme orientações da súmula 372 do TST e do artigo 468 da Consolidação das Leis do Trabalho, o valor não pode ser retirado da remuneração do trabalhador. Com isso, determinou o pagamento da diferença devida desde março de 2006 (a data se dá em razão da prescrição, que limita o pagamento aos 5 anos anteriores), com reflexo em férias, décimos terceiros salários, FGTS, indenização compensatória de 40% e outros direitos trabalhistas.

 

Novos valores de depósitos recursais passam a valer na próxima sexta-feira (1º)
leia mais



Município em SC não é responsável por dívida trabalhista de hospital sob intervenção
leia mais



Escritório indenizará advogada chamada de fracassada por aceitar salário pago
leia mais



Magistrados lançam livro sobre as ações do Programa Trabalho Seguro no âmbito do TRT-2
leia mais



Título da Notícia
leia mais



Os novos valores referentes aos limites de depósito recursal entram em vigor no dia 1ªº de agosto, próxima sexta-feira. Previstos no artigo 899 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), os valores foram reajustados pela variação acumulada do INPC do...
...
...
Para o ministro Barros Levenhagen, uma das mudanças mais significativas é que a nova lei exige que os TRTs passem a uniformizar sua própria jurisprudência. Outra é a possibilidade de aplicação das regras do Código de Processo Civil ao processo...
...
O texto inclui dispositivo na CLT que estende ao processo do trabalho a experiência do processo civil no julgamento dos recursos de matérias repetitivas.
...
-->

 

 

Avenida Borges de Medeiros, 2105, conj. 910 • Praia de Belas • Porto Alegre • CEP 90110-150 • Fone/Fax: 51-3061-4880
contato@avmadvogados.com.br